PIZZATO EGIODOLA

A cultivar Egiodola foi implantada em 1988 pela família do Sr. Plínio Pizzato. À época, o incentivo surgiu a partir de uma visita técnica organizada por produtores da região ao Uruguai. A partir do que foi visto em tal país, a partir de 1985 foi desenvolvido um programa de testes de variedades alternativas e sistemas de condução verticais (lira e espaldeira).

Variedade de origem francesa, sistema de condução da planta em espaldeira dupla (lira). Até 2002, as uvas eram vendidas para terceiros; a primeira vinificação a partir da cultivar Egiodola foi no ano de 2002, com o vinho sendo vendido para terceiros (granel) apesar da boa impressão causada então. Para a safra 2003, foram separados 3.000 litros, sendo lançado em maio de 2004 e a partir de então vem sendo elaborado regularmente.

Recentemente foi descoberta a verdadeira origem da uva: é um cruzamento das uvas Abouriou e Negra Mole. A palavra Egiodola é a contração de duas palavras bascas, Egiasko Odola, que significam ‘sangue de verdade’.

DESTAQUES

  • 89 pontos Guia Adega de Vinhos do Brasil 2016/2017
  • 88 pontos Guia Adega de Vinhos do Brasil 2013/2014, 2015/2016
  • 16 pontos site Purple Pages by Jancis Robinson
  • 88-90 pontos – vários painéis pelo Brasil e no exterior (diferentes colheitas)
  • Presença em mercado externo: EUA, Bélgica, Luxemburgo

COLHEITAS

2016 │ 2015 │ 2014

Vinho estruturado, com expressão tânica pronunciada. Um dos 3 únicos Brasileiros varietais desta uva. Para beber agora ou amadurecer (bom potencial de guarda). Passagem por barris de carvalho francês (1º e 2º usos). Vinhedos próprios, conduzidos em espaldeiras-lira desde 1988. Lote limitadíssimo e exclusivo.

COLHEITA

Datas da Colheita: fevereiro de 2016
Garrafas: 2.670 garrafas de 750 ml, todas numeradas.
Dados Técnicos
Álcool (% vol.) : 13,5
Açúcar residual (g/l) : 2,20
Acidez total (g/l ác.tartárico): 6,27
pH: 3,69
Tempo de barril (meses): 9 (1º e 2º usos, francês, MT)

DEGUSTAÇÃO

Apresenta cor intensa, vermelho-rubi; no olfato, frutas vermelhas, ‘carne’ crua, amoras, cereja, chá de infusão de ervas, terroso, groselha, especiarias, vinho do Porto, couro; mineral; na boca, encorpado, com taninos expressivos. Persistente no retro-olfato de frutas vermelhas maduras, especiarias e leve empireumático. *notas geralmente observadas.

VINHEDO

Nome: Santa Lúcia, Vale dos Vinhedos Região: Vale dos Vinhedos, Denominação de Origem Localização: 29°10’17.91″S, 51°36’05.59″O, 495 m.a.n.m. Arquitetura: Espaldeiras com orientação norte-sul. Solo: De origem basáltica, franco, com pedregulhos e argiloso Colheita: manual

HARMONIZAÇÃO

Aves com preparo estruturado, molhos com funghi frescos, rosbife, carne suína. Queijos meia-cura.

ELABORAÇÃO

Fermentação e maceração em tanques de aço inoxidável, com leveduras selecionadas e temperatura controlada. Tempo total de fermentação e maceração: 6 dias. Transformação malolática completa, sem inoculação. Amadurecimento em barris de carvalho francês, mistura final em tanques e engarrafamento; posterior amadurecimento em garrafa.

SERVIÇO